Bolo de Chocolate sem Glúten Delicioso!!

Esse bolo não usa trigo nem outro ingrediente com glúten, uma delícia que todos podem comer!!.

Risoto de Quinoa Gostoso...

5 Uma receita de risoto que de "risoto" somente o nome, pois não usa arroz, porém uma delícia para saborear.

Danoninho Caseiro Fácil!!

Receita fácil de fazer e que vai agradar a criançada.

Pizza Enrolada Deliciosa...

Sacarina, Ciclamato, Aspartame, Stevia, Sucralose, Frutose etc. Qual o mais saudável?.

Veja esta receita de Empadão de Frango!!

Nesta receita você encontrará ingredientes saudáveis e funcionais como banana, amaranto, castanha do pará, etc. Faça você mesmo, fácil e delicioso.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

HARMONIZAÇÃO DE VINHOS E COMIDAS

Foto Vinho

A Enogastronomia

Há séculos o vinho é o acompanhante ideal para as refeições. Na Europa, as famílias produziam seu vinho caseiro a partir de pequenos vinhedos em suas terras, tendo sempre sua garrafa à mesa.

Com a evolução da vinicultura, uma grande diversidade de vinhos se tornou disponível, a partir de diversas variedades de uva cultivadas, de métodos diferenciados de elaboração e da importação de vinhos de outras regiões.

O conceito de Enogastronomia envolve a escolha pormenorizada de vinhos, a partir de suas características gustativas, para acompanhar pratos elaborados das culinárias tradicional, regional e criativa, ressaltando suas características e criando um conjunto sensorial de grande prazer.

As sugestões aqui apresentadas não constituem regras absolutas, mas apenas uma diretriz para suas experiências pessoais de combinação de vinhos e pratos. A preferência pessoal e a criatividade certamente o levarão a novas descobertas nessa apaixonante e rica área de pesquisa e prazer.


Antes das Refeições – Aperitivo

Espumante Brut

Champagne, Sekt, Cava, Vin Mousseux, Prosecco, Blanquete de Limoux, etc.

Vermute seco

Martini, etc.

Fortificado seco

Jerez (Espanha), Porto branco seco (Portugal).

Vinho branco seco

Chardonnay, Sauvignon Blanc, Pinot Grigio.

Na Sobremesa

Vinho Branco Doce de Qualidade

Sauternes (França) , Alsace (Vendange Tardive e Séletion de Grains Nobles), Tokay (Hungria) e os alemães com os predicados ("mit Predikat"): Auslese, Beerenauslese, Trockenbeerenauslese e Eiswein.

Vinho Fortificado Demi-sec ou doce

Porto (Ruby, Tawny, LBV, Vintage, etc.), Jerez(Amoroso, Oloroso ou Cream); Madeira (Verdelho, Boal ou Malmsey), Moscatel de Setúbal, Banyuls, Moscato d`Asti, Banyuls, Marsala, Málaga (Lagrima Christi), etc.

Espumante Demi-sec ou doce

Asti (italiano), Cava (espanhol), Champagne Doux(francês), Sekt Suß (alemão), Blanquete de Limoux (francês) e outros espumantes.

Como Digestivo

Destilados de uva

Cognac, Armagnac e Marc (franceses), Bagaceira (portuguesa), Grapa ou Graspa(italiana), etc.

ÀS REFEIÇÕES

Peixes e Frutos do mar

Grelhados ou em molho leve ou crus (sushi)

Espumante brut ou demi-sec.
Vinho branco seco frutado jovem ou levemente maduro.
Evitar os vinhos brancos com presença de madeira (fermentados ou maturados em barrica), exceto no caso de peixes defumados.

Em molhos fortes

Branco maduro de boa estrutura.
Rosé seco de qualidade.
Tinto jovem de leve ou médio corpo.

Bacalhau

Tinto jovem ou de médio corpo.
Branco maduro, de bom corpo.

Anchova, atum, salmão e sardinha

Tinto jovem ou de médio corpo.
Branco maduro.
Rosé de boa estrutura.

Carnes Brancas

Grelhadas ou em molho leve

Espumante brut .
Branco seco de boa estrutura, jovem ou maduro.
Tinto jovem ou de médio corpo.

Grelhadas em molho forte

Tinto maduro de médio corpo a robusto.

Caças de penas, Pato, Coq au Vin

Tinto maduro de médio corpo a robusto.

Peru

Tinto leve ou de médio corpo.
Branco seco de boa estrutura.

Foie Gras

Branco doce de alto nível(Sauternes, Tokay, etc.).
Fortificado doce (Porto Vintage, LBV, Colheita, etc.).
Espumante de qualidade (Champagne Milesimé, Espumante Tradicional, etc.).

Carnes Vermelhas

Grelhadas ou em molho leve

Espumante brut.
Tinto jovem leve ou de médio corpo.

Em molho forte

Tinto maduro de médio corpo a robusto.

Caças de pelo

Tinto maduro robusto.

Massas

Em molho leve ou branco

Espumante brut.
Branco jovem ou maduro.
Tinto jovem leve ou de médio corpo.

Em molho condimentado ou vermelho

Espumante brut de boa estrutura.
Tinto maduro de médio corpo a robusto.

Queijos

Fresco de massa mole

(Frescal, Ricota, Requeijão).
Branco ou tinto jovem e leve.

Fresco de massa filada

(Mozzarela)
Branco ou tinto jovem e leve.

Maturado de massa mole

(Brie, Camambert e Coulommiers).
Branco maduro.
Tinto jovem a maduro encorpado.

Maturado de massa filada

(Provolone).
Branco maduro.
Tinto jovem ou pouco envelhecido.

Maturado de massa cozida

(Emmental, Gouda, Reino, Prato, Saint-Paulin, Tilsit, Port-Salut)
Tinto maduro de bom corpo.

Maturado de massa semidura

(Roquefort, Gorgonzola, Stilton, Danablue)
Tinto maduro robusto.
Branco doce superior.
Fortificado doce.

(Parmesão, Pecorino)
Tinto maduro robusto.
Fortificado.

Observação

Espumantes de qualidade, em especial os Champagnes, combinam com todos os tipos de queijo.

Alimentos que não combinam com vinho

O assunto é bastante polêmico.
Os alimentos aqui mencionados são citados em diversas fontes da literatura enogastronômica.
Alguns desses alimentos podem combinar com certos vinhos conforme sua preparação e acompanhamentos, estão sublinhados.

Temperos acentuados

curry, dendê, shoyu, wasabi, etc.

Alimentos ácidos

vinagre, limão, laranja, grapefruit, kiwi, etc.

Algumas verduras e legumes

alcachofra, aspargo, couve, etc.

Outros

ovo, chocolate, sopa, feijoada.

Fonte: http://www.academiadovinho.com.br/_deg_harmonizacao.php

domingo, 25 de novembro de 2012

MAÇÃ COM GELATINA LIGHT

Sobremesa de maçã

Dizem que aparência é tudo, se essa máxima é verdadeira não sei, mas neste caso podemos dizer que sim, pois só de olhar para essa sobremesa dá água na boca. Os detalhes primorosos dessa sobremesa só poderiam ter vindo da Rina Coutinho, que algumas vezes me dá o prazer de ceder algumas receitas para que eu possa compartilhar com os leitores.

INGREDIENTES

8 maçãs

2 caixas de gelatina de morango light

2 xícaras de água

8 paus de canela

8 cravos-da-índia

8 folhas de hortelã

MODO DE PREPARO

Descasque as maças e retire as sementinhas. Dissolva 2 caixas de gelatina de morango light em 2 xicaras de água. Coloque as maçãs em um panela grande e acrescente a gelatina, 8 paus de canela e 8 cravos-da-índia. Deixe cozinhar, virando as maçãs pra que fiquem vermelhas por igual sem deixar ficar muito mole. Levar pra gelar. Quando for servir, colocar os paus de canela como se fossem os cabinhos da maçã e colocar folhas de hortelã. Simples, não? Bom apetite.

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

CRAVO-DA-ÍNDIA

Cravo

Cravo-da-índia (Syzygium aromaticum)

O cravo tem origem nas Filipinas e nas Ilhas Molucas e é utilizado há milênios na preparação de perfumes e como tempero. Na Europa era uma raridade, passando a ser importado pelos portugueses após descobrirem o caminho marítimo para as índias.

Os cravos estão disponíveis inteiros ou moídos e podem ser usados em doces de compota, pudins, bolos, pães, vinhas d’alhos, peixes, molhos chutneys, etc.

A semente, com o cabinho, é decorativa e aromática. Bom para doces brasileiros e compotas. Em pó tem sabor forte, ao mesmo tempo doce e picante. Tem que ser usado com moderação em bolo de carne, caldos, ensopados e chás.

Tem a forma de um pequeno botão de flor e aroma forte e picante. Utiliza-se inteiro em doces de frutas, sejam em calda ou em pasta. É empregado também em bebidas, como quentão e vinho quente à brasileira. Em pó (pequena quantidade), serve para temperar carnes, ensopados e recitas de bolos, tortas e pães.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

LAGARTO AO ALECRIM

100_5083_GF

INGREDIENTES

1 colher (sopa) de óleo
1 cebola picada em pedaços médios
3 dentes de alho picados
1 pimenta de cheiro picada em pedaços médios
1 pimenta dedo-de-moça picada em pedaços médios
2 litros de água quente
¼ xícara (chá) de mostarda
½ xícara (chá) de molho shoyu
alecrim e sal a gosto
1,5 kg de lagarto redondo congelado
salsinha picada a gosto

MODO DE PREPARO

1°- Numa panela coloque 1 colher (sopa) de óleo, 1 cebola picada em pedaços médios, 3 dentes de alho picados, 1 pimenta de cheiro picada em pedaços médios, 1 pimenta dedo-de-moça picada em pedaços médios e refogue por +/- 5 minutos, em fogo médio.
2°- Junte 2 litros de água quente, ½ xícara (chá) de mostarda, 1 xícara (chá) de molho shoyu, alecrim e sal a gosto, deixe em fogo alto até ferver. OBS.: Cuidado com a quantidade de sal porque o shoyu é salgado e o molho vai reduzir muito no final.
3°- Quando a marinada ferver, apague o fogo e coloque a peça de 1,5 kg de lagarto redondo congelado. Deixe a carne nesta marinada por +/- 1h ou até esfriar.
4°- Leve a panela novamente ao fogo alto, quando ferver abaixe o fogo, mantendo a fervura e deixe cozinhar por +/- 3 h ou até a carne ficar macia. Retire a carne da panela e espere esfriar para fatiar. Mantenha o caldo no fogo e deixe reduzir até encorpar.
5°- Fatie a carne, disponha as fatias em um refratário, cubra com o caldo e leve ao forno a 180°C por +/- 15 minutos. Salpique salsinha picada a gosto, sirva com batatas coradas e arroz branco.

fonte: mais você.

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

GENGIBRE

Gengibre

Gengibre

É uma planta tropical semelhante ao junco, cuja raiz é utilizada como especiaria. Tem origem na Índia e Malásia e já era utilizado pelos romanos e n Japão e China há milênios. Raiz de sabor extraordinário, adocicado e picante. Ralado é imprescindível no vatapá. Dá um gostinho especial em pratos de carne moída, peixes e camarão. É uma Erva muito utilizada na cozinha brasileira, principalmente no Norte do Brasil.  Mas é forte, doce e picante, semelhante ao Quentão. É um tempero muito utilizado em pó, principalmente na Europa e Estados Unidos em doces, bolos e pães. Excelente no preparo de conservas, picles e ‘chutneys’.

Raiz de sabor um pouco azedo e picante. Assim é o gengibre, utilizado em pratos orientais. Acha-se dele seco ou fresco. Fresco, utiliza-se ralado ou amassado, temperando peixes e aves, ao invés de usar o alho. Um bom parceiro do gengibre é a raiz de Coentro. Seco, pode se temperar sopas e caldos.

A raiz do gengibre tem sabor picante e aroma muito acentuado. No norte do Brasil, ela é usada para temperar alguns pratos típicos, como a moqueca de peixe e o tradicional quentão. Na culinária oriental, é um dos ingredientes de base. Indispensável como acompanhamento para sushis e sashimis. Em pó, pode ser utilizado como aromatizante para biscoitos, bolos e tortas

Sua raiz fresca é nodosa e possui uma casca bege. Quando nova, possui a casca clara e a polpa suculenta e macia. Tem sabor forte e adstringente, levemente picante. Oferece uma poderosa ação antibactericida e desintoxicante contra toxinas de peixes. A raiz fresca pode ser usada em pedaços, em fatias ou raladas. É encontrado também em pó, em conserva doce ou salgada ou em forma de cristais.

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

CURRY OU CARIL

Curry

Curry ou Caril 

Mistura de especiarias e ervas de origem indiana, conhecida na Índia como Massala. É uma mistura de vários temperos e condimentos e pode variar totalmente de um prato para outro e cada dona de casa tem sua própria receita de curry. O curry é um pó saboroso que mistura especiarias de sabores distintos. A base é a cúrcuma. Dependendo da região em que é fabricado, recebe ingredientes diferentes. Existem misturas que contem até 16 diferentes especiarias e ervas. A receita básica, original da Índia, leva pitadas de cúrcuma, cardamomo, coentro, gengibre, noz moscada, cravo da índia, pimenta do reino e canela. Algumas combinações encontradas no Brasil têm cominho, feno-grego, mostarda, canela e louro. Uma boa dica é usar o ingrediente com frango e legumes.

Em pó, muito picante, parece bastante em cor com o açafrão em pó. Realça o sabor dos alimentos e é bastante utilizado para temperar pratos de carne, aves, peixes, molhos bem como em arroz, sopas, cremes, casseroles, queijos, legumes, camarões, ovos e canapés.

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favoritos More